Profecias e Previsões

Mais luz, e transmitirei ao máximo da minha capacidade o que eu vou aprender sobre este assunto. Eu mencionei a Lei do Triângulo, e cada Rosacruz sabe que esta lei é fundamental e se aplica em todas as áreas, desde a mais sutil até a mais baixa, no universo visível e invisível da criação.

Assim, explica o problema das profecias e previsões, o mesmo que pode explicar qualquer outra questão desconcertante para o pensamento humano. Mas acima de tudo, o que vamos estabelecer é o lado positivo e útil do que um conhecimento claro desta lei nos dá. É simplesmente para atualizar sua memória que eu vou definir aqui, novamente, brevemente, a lei do triângulo.

Esta lei significa que se duas ou duas condições forem estabelecidas, deve resultar uma manifestação, seja uma manifestação psíquica ou espiritual ou, inversamente, uma manifestação mental ou material de acordo se os dois pontos estão situados no plano infinito ou na plano finito; isto é, na terminologia rosacruz, segundo se o triângulo tem o ponto para baixo ou para cima na forma como é usado.

É evidente que ao considerar as previsões

Estamos lidando com o triângulo no plano infinito, sendo a manifestação representada pelo ponto mais baixo. Uma predição válida – aqui se aproxima da intuição pura – é, portanto, o ato de perceber os dois pontos situados no plano cósmico.

Um verdadeiro vidente, no momento em que ele leva em conta um possível evento, decide uma manifestação que pode ocorrer, e essa conclusão resulta de um mecanismo dedutivo subconsciente – o que ele talvez não possa explicar, especialmente se ele não tem educação de iniciativa – originário de a percepção pelo Self Interior das duas condições situadas no plano invisível.

O mecanismo dedutivo do subconsciente funciona com extrema rapidez, e se as duas condições “cósmicas” estiverem solidamente estabelecidas, o evento será declarado iminente pelo vidente se ele for particularmente receptivo, e por mais motivos se, moldado por iniciação e um abordagem de som como a da Ordem Rosacruz, AMORC, sua evolução lhe dá uma boa compreensão do que está ocorrendo. Além disso, ele reagirá como um Rosacruz nas explicações com que ele envolverá sua predição e o conselho que ele dará.

Eu ressaltei uma qualificação importante – possível.

Se os dois pontos ou as condições “cósmicas” podem simplesmente estar no estágio de formação, de “condensação”, ou se eles podem estar tão formados que a manifestação é iminente ou mesmo ocorrendo, desde que o evento não tenha ocorrido, então é tão eficaz. Consequentemente, é possível que seja assistido se for positivo e benéfico, e pode ser evitado se for negativo e infeliz.

Para isso basta agir sobre as duas condições cósmicas, ou mesmo sobre apenas uma delas. De que maneira, por que meios, em uma palavra, como? Muito naturalmente, pelo pensamento e, mais precisamente, pela visualização – uma visualização a partir do evento predito ou prefigurado visto como uma possibilidade “no ponto mais baixo do triângulo, que” vê “este ponto estressado, ou, por outro lado, é obliterado mentalmente; e então é levada para os dois pontos superiores “invisíveis” do triângulo, fortalecendo ou dissolvendo-os conforme necessário. Portanto, nenhuma previsão “ruim” é inescapável.

Pelo contrário, todos são evitáveis ​​se o processo de visualização for seguido corretamente. Sobre o tema das “boas” previsões, é natural tentar acelerar a manifestação, mas, em todos os casos, se os dois pontos “Cósmicos” tenham sido realmente percebidos, se eles realmente existem, a manifestação ocorrerá. Pode-se “prever” o evento de maneiras diferentes, pela intuição, através dos sonhos, ou através de um ser receptivo e verdadeiro, mas o essencial é sempre reagir da maneira apropriada que descrevi.

É necessário, antes de tudo, proteger-se dos “profetas do infortúnio” que, na maioria das vezes, não percebem nada e quem, a fim de abusar da credulidade dos outros (ou simplesmente se revelar tolo, ou mais, para mascarar com falso prestígio sua fraqueza, o vazio de sua vida e seu fracasso), descartam aleatoriamente suas predições inventadas, desta forma, às vezes, estabelecendo os dois pontos anteriormente inexistentes.

Tais profetas são prejudiciais, e é necessário se proteger contra eles e manter-se afastado do caminho, a fim de evitar suas sugestões malignas. Em todos os casos, aqueles que lêem essas linhas saberão, doravante, evitar manifestações indesejáveis, agindo de acordo com o processo simples, mas efetivo e conclusivo que eu estabeleci, e, dessa forma, ninguém deve estar sujeito ao medo de predições sempre que eles vem de.

 

Comitê de Auxílio Espiritual Mútuo da Ordem Rosacruz, AMORC

Devo acrescentar que o trabalho do Comitê de Auxílio Espiritual Mútuo da Ordem Rosacruz, AMORC, como é aplicado todos os dias na Grand Lodge, com uma técnica que elaborei depois de um longo conhecimento cósmico contatos – este trabalho, pela ação das hierarquias rosacruzas combinadas, visíveis e invisíveis, coloca a Lei do Triângulo em ação com um objetivo de fraternidade e amor.

O resultado, consoante o caso, é fortalecer ou, inversamente, dissolver as condições cósmicas e, assim, auxiliar ou impedir uma manifestação, um evento ou um estado, ou mesmo aliviar esse estado se já se manifestar, e, em última análise, permitir a solução mais legítima e benéfica, do ponto de vista cósmico, para quem é ajudado.

As explicações precedentes dizem respeito a predições individuais, sobretudo aquelas que tratam de si mesmo ou de alguma pessoa em particular, e cada sincero Rosacruz (e o Comitê de Auxílio Espiritual Mútuo, se necessário) podem ajudar, adicionando seus esforços àqueles da pessoa afetada pela previsão . Agora, vamos examinar o que ocorre no caso de previsões sobre a comunidade, a humanidade como um todo, e considerar também o que deve ser apropriadamente chamado de profecia.

Uma profecia refere-se a um tempo mais ou menos distante. Ninguém ignora as profecias de Nostradamus e de Malachie. As perguntas que são feitas são as seguintes: se tais profecias são válidas, como os dois pontos “Cósmicos”, do triângulo, devem ser estabelecidos com antecedência? Isso significa que tudo está destinado? Poderia haver predestinação quanto a humanidade como um todo?

Eu respondi a estas perguntas em “Le Bossu d’Amsterdam” e, a partir desta resposta, elas podem ser resolvidas de um ponto de vista particular, que será preciso chamar de “Unitário” porque considera que a criação terminou na sua totalidade e em sua relação com a evolução humana.

Mas este ponto de vista pode ser difícil para muitas pessoas ver, e dou aqui uma explicação simples, mais facilmente compreensível porque ela se ilumina por meio de uma manifestação visível, e não pelo todo.

Um fato conhecido de todos os adeptos é que o mundo evolui e se desenrola em ciclos, dos quais os mais importantes são conhecidos sob os nomes das idades: a Era dos Peixes, a Era de Aquário, etc. Isso permite ao iniciado saber o que marcou as idades anteriores, o que marca a idade atual e o que marcará as idades futuras.

Mas dentro de cada uma dessas idades há um ciclo regular; a passagem da idade anterior para a evolução nova, lenta, o pico, então a evolução para a nova era. Cada idade inclui potencialmente todos os precedentes; Ele os sintetiza antes de um novo começo. Agora, cada idade se estende por trinta graus. É dividido em três partes de dez graus cada; isto é, cada idade se estende por 2 a 60 anos e é composta por três períodos de 720 anos cada, e cada grau de um período é, portanto, de 72 anos.

Um é, portanto, oposto a uma parte de um grande triângulo de que cada lado mede, por assim dizer, 720 anos, e dentro desse grande triângulo, há um pequeno triângulo de “24 anos” de cada lado. Agora, cada idade, síntese dos precedentes, é o retorno dos precedentes em um nível mais alto. Eu aconselho meus leitores Rosicrucianos a analisar o assunto dos períodos, como é ensinado em uma monografia nos Graus Neophyte. Eles entenderão melhor as revelações que vou fazer aqui.

No assunto que nos interessa, é necessário saber que os profetas aplicam esse conhecimento, alguns sem o saberem, enquanto outros fazem, como no caso de Nostradamus, sobre quem provavelmente algum dia farei algumas revelações, porque, contrariamente à crença popular , este nome não é o de um homem, mas abrange as obras de vários iniciados, de quem falava em “Les Maisons Secretes de Rose-Croix”.

As profecias autênticas, então, são a percepção subconsciente de um sábio dos dois pontos cósmicos do triângulo grande ou pequeno. Isso esclarece cada grau. Também é importante notar que a percepção subconsciente dos dois pontos cósmicos pelo profeta resulta na visão de grandes eventos, mas o profeta dará a este um entendimento baseado em sua própria era. Com isso quero dizer que ele vai vestir eventos futuros com as características da sociedade em que ele mora.

Por exemplo, Nostradamus falou de “reis” em todos os eventos que ele profetizou porque, em seu tempo, ele não tinha idéia do que um presidente poderia ser, no sentido moderno. Para interpretar corretamente uma profecia, é necessário ter um conhecimento exato da época em que o profeta viveu. Em outras palavras, o verdadeiro profeta, que sempre é um sábio, conhece os principais eventos das eras passadas e, em particular, os mais recentes de sua idade. Este conhecimento é um dos pontos cósmicos do triângulo, e este ponto pode-se chamar pelo seu título certo, o do carma positivo e negativo acumulado pela humanidade.

O segundo ponto cósmico é o das características da idade ou das idades consideradas. O terceiro ponto – a manifestação – é a visão do evento, do que acontecerá. Uma definição está em ordem: de acordo com a qualidade do profeta, o profeta a profecia pode ser histórica, como no caso de Nostradamus; ou religioso em alguns dos seus aspectos, como é o caso de Malachie, ou pode levar outros aspectos, dependendo da personalidade do profeta. Pode referir-se ao “destino” total da humanidade – o grande triângulo – ou uma fase ou período desse “destino” – o pequeno triângulo.

Estas, então, são as bases que são necessárias para as profecias, mas surgem duas questões: primeiro, a realização das profecias pode ser acelerada ou anulada, como é o caso das previsões e, em caso afirmativo, como? Em seguida, por que existem profecias e de que uso são?

Seções e grupos religiosos

Muitas vezes, são fundadas em decepções, e talvez se vingem de uma punição, por mais que merecido. O orgulho é uma calamidade para quem sofre. Isso o leva aos atos mais irracionais, ao medo injustificado, criando (por erros formidáveis ​​de sua parte) ilusão, insatisfação e ações malignas que, mais cedo ou mais, refletem sobre si mesmo.

É de se esperar que artigos desse tipo nunca influenciem o investigador autêntico. Se o astral existisse, no sentido usado por esse ignorante escritor amadorista na ocasião, suas teorias enganosas demonstrariam que ele mesmo era uma presa deles, enganado, como ele poderia ter sido enganado por outras ilusões, confundindo-o nas coisas mais elementares .

Mas simplesmente reconhecemos, de passagem, essa personalidade cujo público, afinal, é praticamente inexistente, e cujas fantasias de auto-engrandecimento falham lamentável porque não possuem o apoio das esferas mais altas, aquelas que dão à Ordem Rosacruz, AMORC , o suporte esclarecedor e vivificante de uma autêntica iniciação, santa e pura, baseada na Vida, na Luz e no Amor verdadeiro.

Afinal, todos, no ciclo de suas encarnações, experimentam a Noite das Trevas que um buscador sabe, como vítima de suas próprias ilusões. Se o discípulo no Caminho se protegeria da contaminação que o buscador perdido mostra temporariamente, o discípulo deve sentir a maior compaixão por ele, e pede incessantemente que eventualmente ele seja esclarecido e ajudado cósmicamente.

Seguindo este artigo triste ao qual me refiro, o pensamento vem à minha mente (eu não sei por que associação de idéias) das seitas e grupos religiosos que proliferam em nossa Terra. Sem dúvida, é por causa da intolerância que alguns deles mostraram, ou talvez porque a maioria deles não hesite em fazer insinuações falsas como as que preenchem o artigo que acabei de ler. Seja lá o que for, este é o tópico que escolhi para o meu contato esta noite com a Catedral da Alma, esperando que um Mestre lá mais me ilumine.

Não penso que seja necessário explicar de novo o “ritual” seguido para realizar o contato e levantar-me à Catedral da Alma. Eu acho que tudo sobre isso foi dito nas primeiras páginas deste livro, e em outras ocasiões por ocasião de contatos anteriores. No entanto, em um dos últimos capítulos, terei de voltar para ele, porque pretendo relacionar detalhadamente uma Iniciação Cósmica conduzida ao nível da Catedral da Alma.

Hoje, então, não vou informar aqui os detalhes da “viagem”. Cheguei com segurança, e é na semidernidade do meu santuário que eu ouço o Mestre:

“Sua pergunta” ele começa “, está mal redigida, embora seja suficientemente compreensível para chegar ao nosso conclave e para que não lhe seja solicitada resposta. Você parece fazer a diferença entre as seitas e o que você chama de grupos religiosos. Agora, estes últimos , são as próprias seitas. Curiosamente, eles são os que usaram intencionalmente a palavra “seita” em um sentido depreciativo, esquecendo que, ao fazê-lo, eles também se atribuem essa qualificação restritiva.

“Pense por alguns momentos: o mundo tem mais de três bilhões de pessoas. O mais importante do pensamento religioso – o budismo em suas diversas formas – tem quase um bilhão de adeptos. Próximo ao islamismo, com oitocentos milhões de muçulmanos. Em terceiro lugar é o catolicismo, com seiscentos milhões de batizados, dos quais menos de um vigésimo são “praticantes”.

Em seguida, o protestantismo com seus muitos ramos, com o número de fiéis que se aproximam dos católicos. Você mesmo, que é da religião católica , e vivem em um país teoricamente católico na maioria – você não pode escapar de uma certa tendência para acreditar que sua religião é a mais importante do mundo e que suas injunções, mais ou menos bem fundamentadas, variando com os tempos e as latitudes são muito obrigatórios para toda a humanidade.

Nesse sentido, como muitos outros, você cometeu erros durante muito tempo. Em todo o Oriente, em todos os países islâmicos, nos países onde o catolicismo não está fortemente enraizado, as atividades católicas (e com muito bom motivo), as opiniões, a influência e as diretrizes católicas são completamente ignoradas ou simplesmente mencionadas como novidades de interesse meramente secundário.

Nunca as notícias sobre eles ocupam a primeira página dos jornais, raramente são mencionadas em transmissões de rádio, e mais raramente ainda na televisão, contrariamente ao que está acontecendo nos países latinos, onde a maioria das pessoas são católicas. Mas pode-se dizer a mesma coisa sobre o Islã ou o Budismo. Os jornais nos países latinos falam muito pouco de suas atividades.

“Vamos então considerar os números: um bilhão de budistas, milhões e oito de milhões de católicos” batizados “, etc. Nenhum desses números representa a população total da Terra.

Cada uma é uma parte ou uma seção, e cada religião, conseqüentemente, por grande que seja a minoria, é uma seita. Além disso, centenas de milhões de pessoas são chamadas ateitas pelas diferentes “seitas” religiosas, que acabo de citar.

Na verdade, os ateus são chamados assim porque não estão vinculados por dogmas ou pela fé particular dessas seitas que usam a palavra “ateu” de uma maneira tão depreciativa como a forma como eles usam, para outros, a palavra “seita”, que se refere igualmente a si mesmos. Agora, há poucos ateus no sentido absoluto do termo.

Entre o número considerável daqueles que não aderem a nenhuma fé específica, a qualquer das “seitas” de que falei, existem muitos crentes que praticam uma espécie de religião pessoal, seguindo as regras da vida e os princípios morais que são altamente som e desprovido de hipocrisia, que, infelizmente, pequenas ou grandes seitas religiosas despertam dentro de seus seguidores que estão preocupados com a opinião de sua igreja ou de seus vizinhos.

Cura espiritual

Não pode haver negação a este respeito, na simples leitura dos evangelhos, como eles nos foram transmitidos. Não podemos aceitar esses preceitos quando são aliados com doutrinas ou dogmas posteriores e, contrariamente ao bom senso, rejeitá-los ou interpretá-los porque parecem contrariar essas mesmas doutrinas ou dogmas. Os evangelhos formam um todo em que cada palavra tem um valor que é impossível desafiar sem mudar os ensinamentos inteiramente.

Agora é universalmente reconhecido que Jesus era um Essene e, portanto, um membro de uma sociedade secreta, e é necessário agradecer aos estudiosos que, após a recente descoberta dos Pergaminhos do Mar Morto, tiveram o bom senso de resistir a muitas intrigas e pressão para revelar ao mundo este fato importante, que certamente perturbou os dogmas religiosos que eram muito rígidos e declarados infalíveis e ameaçavam os fundamentos de todo o sistema estabelecido pelo homem, mas alegado divino.

É verdade que o tempo para isso veio com a nova era, e que a verdade deveria ter surgido, em qualquer caso, como vai sair em outras áreas, apesar de tudo; o longo período de “mistérios” (ou o que quer que fosse chamado para esconder a verdadeira sabedoria) já estava completo. A leitura freqüente de obras como The Mystical Life of Jesus e The Secret Doctrines of Jesus pelo nosso excelente canal, o Dr. H. Spencer Lewis, é mais do que recomendado para cada discípulo no Caminho.

Essas obras não são dogmáticas. Até mesmo um rosacruz pode se recusar a acreditar neles sem incorrer na menor censura e sem sua posição ou seu progresso no A.M.O.R.C. sendo afetado pelo menos. No entanto, uma ou duas décadas não passarão sem algumas novas descobertas trazendo para essas obras o peso da prova indiscutível, como foi recentemente o caso de algumas das afirmações contidas nesses livros, anteriormente julgou fantasias de fanáticos ignorantes.

Mas essa não é a questão. O que é importante lembrar é que a ordem para curar foi dada originalmente a um grupo seleto de discípulos devidamente preparados e, conseqüentemente, a quem receberia uma moldagem interna similar e que teria alcançado o mesmo grau de evolução, o mesmo estado como eles tinham.

Devo me entender bem aqui. Não quero dizer de modo algum que apenas aqueles que pudessem ter sido moldados e preparados pelos discípulos próximos de Jesus estavam preocupados com a injunção de cura dada pelo Mestre, mas gostaria de enfatizar inequivocamente que ninguém pode fingir curar pela aplicação de princípios espirituais e místicos, sem primeiro ter alcançado, através de disciplina ou treinamento especial (e o da Ordem Rosacruz, AMORC, é um desses) o grau ou estado interno que os discípulos íntimos de Jesus alcançaram.

Devo acrescentar que este grau ou estado interno é adquirido de forma mais rápida e eficaz se houver um trabalho sério e perseverante dentro de uma organização tradicional autêntica. Eu citei a Ordem Rosacruz, a AMORC, como um exemplo excelente, mas também pode adquiri-la (mais raramente, é verdade) fora de qualquer organização, por observação solitária (mesmo inconsciente) dos grandes princípios, cujo chefe é o amor do vizinho, e voltaremos para isso mais tarde.

A cura é inegavelmente um dos poderes místicos em que se desenvolve um desenvolvimento harmonioso no discípulo sincero, esta afirmação é feita no espírito exato do capítulo dedicado, neste livro, ao exame deste assunto em particular.

Mas seria útil insistir no fato de que o grau (ou o estado interno) necessário para praticar a arte de curar com sucesso absoluto poderia ser alcançado não só por uma maneira essencialmente cristã e por uma preparação guiada, mas também de qualquer maneira , seja qual for o seu nome, religioso, filosófico ou de outra forma, e por um caminho pessoal e solitário, longo e perigoso, como pode ser em comparação com uma técnica comprovada realizada dentro de um quadro ou ambiente específico.

Essas poucas reflexões, portanto, reduzem muito visivelmente o número daqueles que podem fingir praticar a cura espiritual. Este número será ainda mais reduzido em proporção à nossa análise, mas no momento desejado, a Catedral da Alma enviará sua mensagem sobre este assunto, e talvez seja feita menção ao milagre da boa vontade e da Luz (a única Luz ) do amor, mesmo no mínimo preparado. Em breve veremos.

Enquanto esperamos, notemos que as definições dadas até agora levam à conclusão clara de que existem verdadeiros e falsos curadores, sendo o primeiro raro, extremamente raro, em comparação com o segundo, que são encontrados em profusão e cujas práticas, às vezes escandaloso e sempre calculado, mereceria aos seus proponentes uma qualificação ainda mais forte, se fosse possível, do que a dos charlatães do mal. Eu tomarei um exemplo simples: um “curandeiro”, cujo nome devo esconder, perguntou há alguns anos uma “taxa” de 50 francos franceses e uma fotografia daqueles que, por acaso, o consultaram.

Nesse caminho, todos os dias ele recebeu pelo menos uma dúzia de fotografias. Agora, seu método, seu trabalho único, consistia em segurar suas mãos dobradas a cada dia por alguns minutos, as fotografias que lhe haviam sido enviadas. Sem dúvida, ele obteve resultados ocasionais, mas estes não eram atribuíveis a ele. As próprias pessoas doentes, que tinham uma confiança sem reservas, criaram uma visualização efetiva, causando o retorno à harmonia interior que seu corpo precisava para permitir que a natureza (ou seja, o fluxo cósmico) realizasse seu trabalho de regeneração. Claro, a maioria não se declarou satisfeita com os “serviços” desse curandeiro.

Ele já desapareceu no anonimato da multidão, com, de acordo com a opinião popular, seus “bens mal adquiridos”. Existem inúmeros exemplos desse tipo!

Na Suíça, há um distrito onde os curandeiros são livres para trabalhar como quiserem. Eles estão localizados lado a lado, e eles trabalham em uma competição frenética. Os ganhos desse trabalho são, em sua maior parte, modestos e, conseqüentemente, muitos desses curandeiros desistiram de suas práticas. Eles fariam isso se seu poder fosse real, se o propósito deles fosse altruísta? Cada um pode responder esta pergunta para si mesmo.

Eu mencionei anteriormente que alguns pacientes de um certo curandeiro, sem saber, se curaram, e pode-se afirmar, com razão, que um inválido sempre se cura, não importa quem ele chama – curandeiro ou médico – e seja o que for medicamento que ele eventualmente leva.

Devo falar um pouco mais tarde sobre a medicina oficial, mas todos já deduziram do que precede que o elemento fundamental na cura (espiritual ou qualquer outro) é a confiança do inválido e do seu estado mental.

Antes de toda cura, Jesus perguntou: “acredite em mim?” e ele só trabalharia então, porque sabia que, sem o vínculo estabelecido pela confiança entre ele e o doente, nenhum resultado poderia ser obtido. O sucesso relativo e temporário de certos curandeiros despreparados é explicado, em parte, pela confiança que eles tiveram em si mesmos por muito tempo, mais ou menos, e em parte pela confiança que seus pacientes têm neles. Se essa confiança cessar, por um lado, ou por outro, é um recuo definitivo.

Agora, tal situação não é encontrada naquilo que diz respeito ao verdadeiro curandeiro, aquele que cumpre a condição necessária de grau ou estado interno em que baseei as explicações necessárias.

O único ato de recorrer a ele constitui a prova de confiança necessária; e o verdadeiro curandeiro possui uma confiança inabalável em si mesmo, porque é inerente ao seu estado. Ele sozinho tem o poder de realizar cura, se a cura for possível.

O que se chama de doença é uma ruptura do equilíbrio na transmissão da energia cósmica no veículo particular que é o corpo humano. Assim, após erros repetidos, um órgão mais ou menos importante já não é capaz de cumprir sua função corretamente.

Como um elemento defeituoso no motor de um automóvel, a deficiência do órgão produzirá “falha” que será sentida em todo o veículo físico, ou mesmo, em um caso mais sério, levará a uma quebra completa se não houver intervenção rápida.

Naturalmente, no corpo físico (e a ciência acaba de reconhecer isso), o centro fundamental está localizado na cabeça ao nível do cérebro, o coração aparentemente é o segundo.

Seguem-se duas coisas: o primeiro é que o pensamento é o mestre do corpo, e entendemos por que a cura requer confiança, que é uma forma poderosa de pensamento positivo. O segundo é que um aumento do poder da energia cósmica no corpo, estimulado pelo verdadeiro curandeiro, pode “liberar” o órgão deficiente e restabelecer a harmonia no circuito.

É mesmo possível, em casos extremos, criar uma forma de “substituição”, o circuito que segue um curso diferente, para que o equilíbrio possa ser restaurado sem a ajuda do órgão imperfeito até que possa ser restaurado pelo complemento completo da energia cósmica e pelo estado mental positivo do paciente.